População faz fila para conseguir água mineral em Valadares. Cidade passa por momento calamitoso!

Após o município de Valadares ter decretado estado de calamidade pública, devido à falta de água provocada pelo rompimento da barragem de rejeitos da empresa Samarco no distrito de Bento Rodrigues, em Mariana, a população têm tentado encontrar maneiras para suprimir a necessidade de água mineral. A procura aumentou 100% nos estabelecimentos comerciais. Em alguns pontos, chega a faltar galões. Pessoas estão enfrentando filas enormes ou até mesmo deixando o nome na fila de espera.



Segundo Vitor Ferraz, gerente de uma loja, apenas em uma hora na manhã de ontem, das 8h às 9h, ele vendeu 550 galões de água. “Foi uma confusão, o estabelecimento enfrentou uma constante movimentação de filas na busca de água. Amanhã será necessário fechar e abrir, para entrar um por um. Infelizmente, com o que temos não está sendo possível atender a todos. Muitos vêm aqui e não conseguem garantir a água, mesmo com a gente fornecendo apenas dois galões por pessoa. Estamos buscando em outra empresa, em Belo Horizonte, para tentar atender um número maior de pessoas”, comenta.
Moradora do bairro São Paulo, Alexandra Mota Siqueira disse que garantir água está sendo um desafio. “Estou sem água em minha casa, e pelo visto a situação vai piorar ainda mais. Rodei o bairro todo para tentar garantir água, e quando encontrei tive de enfrentar uma fila exaustiva. Confesso que achei R$ 24 um preço bastante alto pelo galão de 20 litros. Mas, infelizmente, tive que comprar”, reclama.
De acordo com o delegado regional, Bernardo Pena Salles, qualquer pessoa física/jurídica ou comércio que tenha a intenção de lucrar com a venda de qualquer mercadoria acima dos padrões exigidos pela lei está cometendo crime contra a economia popular. “Quando esses oportunistas tarifam um valor maior de qualquer mercadoria, estão praticando um desacato contra as pessoas. E esse crime pode levar a até dois anos de prisão”, informou.
O delegado acrescenta que, diante das informações da Polícia Militar encaminhadas à Polícia Civil, a fiscalização nos estabelecimentos que estão vendendo água mineral com a tarifação maior será aumentada. “É preciso denunciar essa prática ilegal para que possamos percorrer, orientar e fiscalizar esses estabelecimentos denunciados, que praticam esse crime contra as pessoas, e tomarmos as devidas providências”, concluiu. 

Fonte/foto  DRD
Partilhar
© 2012 | Portal Vargem Grande todos os direitos reservados desenvolvido por: Grupo Mega Music Soluções em Informática